• Home
  • /
  • “Novo” nome do WhatsApp já aparece para alguns usuários

“Novo” nome do WhatsApp já aparece para alguns usuários

Whatsapp e Instagram, Meta é reforçar a propriedade do Facebook sobre os Apps.

Após anunciar a mudança do nome de dois aplicativos há algumas semanas atrás, o WhatsApp e o Instagram, já podemos ver em alguns usuário que a mudança já começou. Trazendo o sobrenome do Facebook (Dona das redes), ficando “WhatsApp do Facebook”.

A mudança parece pequena e não envolve modificações dos aplicativos, mas para o Facebook é de grande importância para que o mesmo se reafirme dono dos aplicativos.

 

WhatsApp

Alguma mudança de usabilidade?

Já podendo ser visto na tela de configuração do Beta do App. Ainda não foi revelado se mudará na tela inicial, abaixo do ícone. Lembrando que essa mudança é apenas estratégica e não trará mudança alguma para o funcionamento do App.

Sendo assim, esta pequena alteração não trará grande impacto na vida dos usuários. A disponibilidade ainda não foi constatada no Brasil, mas logo deverá chegar.

 

Decidir pelo investimento em marketing e ter uma estratégia podem ser os primeiros passos para a empresa gerar mais vendas. Porém, acompanhar os indicadores de marketing e planejar formas de melhorá-los é, posteriormente, tarefa essencial para que o retorno sobre o valor investido seja cada vez maior.

Mesmo com tal importância, muitos gestores não prestam atenção nos indicadores dos seus negócios e deixam de obter respostas essenciais para a melhoria de ações ou reversão de insucessos.

Acompanhar os números certos é essencial para ter certeza de que as suas iniciativas deram certo ou não. Apoiar-se em impressões subjetivas servirá apenas para prejudicar sua atuação.

Se você não quer que a falta de mensuração afete sua empresa também, leia sobre os 8 indicadores que abordaremos a seguir.

1. Retorno sobre investimento (ROI)

ROI é a sigla para Return Over Investiment, que é o quanto a empresa gera de receita para cada real aplicado em marketing online ou offline. Justamente por isso, é um dos mais importantes indicadores de marketing, pois revela se o negócio atingiu os resultados esperados.

Para calculá-lo é preciso aplicar os números na seguinte fórmula:

  • faturamento gerado — investimento feito;
  • resultado do primeiro cálculo ÷ investimento;
  • resultado do segundo cálculo x 100 = ROI.

2. Taxas de conversão

Essas taxas revelam a eficiência das estratégias utilizadas pela empresa para converter visitantes em contatos ou em vendas, seja em páginas de e-commerce, landing pages ou anúncios.

Por exemplo, se a taxa de conversão for baixa na loja virtual, os problemas podem ser vários, como:

  • oferta não colocada de forma clara;
  • chamada para ação (CTA) de compra não destacado;
  • checkout dificultado pelo site, o que também é identificável quando se monitora o percentual de carrinhos abandonados.

Independentemente do motivo, taxas de conversão baixas sempre exigem ações, como fazer testes A/B em landing pages, mudar layouts ou deixar os anúncios mais diretos em relação à oferta. Da mesma forma, taxas satisfatórias não significam que nada precise ser feito — testes podem seguir ocorrendo para que pequenos percentuais possam ser ganhos frequentemente.

Calcular uma taxa de conversão é simples: basta dividir o número de visitas de determinada página pelo número de conversões realizadas.

3. Custo de Aquisição de Clientes (CAC) em anúncios

Grande parte dos anúncios servem para gerar leads, contatos para efetivar vendas posteriormente, mas eles também são eficientes para que vendas sejam feitas diretamente, como no Google AdWords.

Como para a taxa de conversão, o cálculo da aquisição de clientes é fácil: divide-se o valor total investido nos anúncios pelo número de clientes efetivados, independentemente de quanto foi a receita que geraram individualmente ou na soma.

Assim, sabe-se quanto cada cliente custou para ser adquirido. Depois, se perante o faturamento gerado o anunciante desejar saber qual foi o retorno, utiliza a receita e o valor pago pelos anúncios para chegar ao ROI.

4. Taxa de abertura de e-mail marketing

Disparos de e-mail marketing são muito usados para nutrir o relacionamento com leads e entregar ofertas a eles, mas precisam ser abertos para que tenham sucesso e atinjam tais objetivos.

Portanto, medir a taxa de abertura deles é fundamental, dividindo o número de aberturas pelo total enviado e multiplicando o resultado por 100.

Caso a taxa esteja baixa, os seguintes critérios podem ser revisados:

  • assunto: pode estar muito longo, difícil de entender ou pouco atrativo, o que reduz os cliques;
  • algumas das boas práticas de envio de e-mail marketing: o layout dos e-mails podem estar em imagem única ou com muitas palavras de apelo promocional, o que facilita que eles sejam considerados spams pelos servidores;
  • testes A/B: um assunto alternativo para determinado grupo de leads pode revelar-se melhor e elevar a taxa;
  • remetente impessoal: é preferível fazer os disparos pelo endereço de uma pessoa real em vez de algo como “noreply”. Endereços de e-mails de máquinas podem repelir a atenção dos destinatários ou fazer os filtros de e-mails os colocarem diretamente entre os spams.

5. Lifetime Value (LTV)

Planejar-se financeiramente é essencial para o sucesso da sua empresa. É o papel dos indicadores de marketing ajudar você a visualizar o quanto será possível conquistar em determinado período e quais são as fontes desses ganhos. O lifetime value, ou LTV, mostra o quanto você pode esperar ganhar de um cliente ao longo do tempo médio que ele costuma ter contato com a sua empresa.

Pense em um serviço de assinatura que cobre uma mensalidade e mantém seus assinantes por uma média de 18 meses. Ao multiplicar o valor ganho por esse período, o resultado será o LTV. Dessa forma, é possível se planejar para ações ao longo prazo, considerando o volume de caixa esperado.

6. Net Promoter Score (NPS)

Até o conceito do Net Promoter Score (NPS) ser desenvolvido, entender o grau de satisfação dos seus clientes era algo bastante suscetível a erros e comparações inadequadas. Felizmente, hoje contamos com esse modelo para visualizar essa métrica com fidelidade.

O NPS consiste em disparar uma enquete para os seus clientes (experimente selecionar uma amostra que corresponda ao conjunto total) perguntando as chances de recomendarem os serviços da sua empresa a um amigo. Dê a eles uma escolha de 0 a 10 e acompanhe a evolução dos seus resultados ao longo do tempo.

7. Taxa de engajamento social

As redes sociais são ferramentas altamente importantes para a consolidação da imagem da sua marca, além de proporcionarem diversos mecanismos para você se comunicar com seu público. Para fortalecer esse ponto, você precisa ficar de olho no volume de interações que a sua empresa recebe. Afinal, a indiferença da audiência pode comprometer os seus resultados.

É por isso que você deve acompanhar a taxa de engajamento social das suas publicações nas redes sociais. Isso inclui analisar a quantidade de curtidas, comentários, compartilhamentos e o tom por trás dessas interações. Vale a pena implementar estratégias focadas em aumentar esse índice.

8. Novos clientes x clientes recorrentes

Monitorar a fidelização do seu público é muito importante para conhecer a eficácia das suas ações. Um dos indicadores de marketing que você deve acompanhar é a proporção de novos clientes em relação aos recorrentes. Procure visualizar se é mais comum você vender para gente nova ou para quem já comprou de você.

Nesse caso, não há definição exata sobre qual é o melhor caminho a seguir. Afinal, é algo que depende da natureza do seu negócio e dos seus objetivos. De qualquer forma, é saudável buscar um equilíbrio entre os dois lados, já que ter um deles desproporcionalmente maior do que o outro pode prejudicar a sua empresa.

Acompanhar as métricas de marketing corretas é algo decisivo para o seu sucesso. Sem elas, é como trabalhar no escuro, sem uma ideia clara a respeito da performance das suas ações. A partir de agora, crie o hábito de levantar esses números periodicamente e compará-los para monitorar o seu próprio progresso ao longo do tempo.

Quer saber mais sobre como gerar resultados para seu negócio na internet e melhorar os resultados dos indicadores de marketing da sua empresa? Assine nossa newsletter e receba conteúdos que você precisa ler sobre o assunto.

Há bons anos são os avanços tecnológicos que ditam o ritmo do mercado. Desde a automatização dos processos produtivos, passando pela forma como pessoas e empresas se relacionam, até o modo como nós, consumidores, decidimos nossas compras.

A Internet está cada vez mais presente em todos os momentos da nossa vida, seja como pessoas físicas e jurídicas. E a única forma de os tomadores de decisão garantirem o sucesso de suas empresas no mercado, independente do setor ou porte de seus negócios, é construindo uma consistente presença no ambiente online.

Entra em cena o marketing digital, que se renova e transforma a cada ano, se consolidando como uma das estratégias mais importantes do composto de marketing das empresas. Com a constante evolução (e revolução) no ambiente digital, quem não acompanha as tendências e melhores práticas em marketing digital rapidamente fica para trás.

Por isso, reunimos neste artigo o que rolou de mais relevante no cenário digital e como essas tendências colaboraram com o fortalecimento de marcas na web. Fique ligado!

Marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo foi um dos principais destaques de 2015 e sua relevância foi reforçada no cenário digital em 2016.

Para entregar a relevância esperada pelos consumidores, empresas aumentaram seus investimentos em produção de conteúdo qualificado que provoca engajamento do público, educa futuros consumidores e aumenta o tráfego orgânico para os canais da empresa.

A confiança dos clientes não é mais conquistada por meio de publicidades tradicionais no horário nobre, e sim com a geração de conteúdos que agreguem valor ao dia a dia das pessoas.

Quem ainda não entendeu a importância do conteúdo na construção de uma marca forte e confiável, terá que correr atrás do prejuízo em 2017.

Publicidade nativa

Na mesma linha do marketing de conteúdo, a publicidade nativa ganhou grande destaque em 2016 com a premissa de entregar conteúdo relevante e segmentado ao público.

Como o consumidor moderno é cada vez menos sensível à publicidade invasiva e o próprio Google passou a bloquear anúncios em Flash em seu navegador Chrome, o caminho mais assertivo para a publicidade online deixou de ser os tradicionais banners.

A publicidade nativa atrai a atenção do consumidor ao oferecer conteúdo relevante no formato de publi reportagens enquanto ele navega na web.

Comunicação personalizada

Se a publicidade tradicional não surte mais o mesmo efeito de antigamente, a mesma regra vale para aquela comunicação massificada que tenta falar com todo mundo e acaba não falando com ninguém!

Segmentação de público e comunicação personalizada foram palavras de ordem em 2016 e o Big Data é o grande responsável por essa revolução.

Graças à alta capacidade das soluções tecnológicas em captar, organizar e analisar informações sobre os consumidores, as empresas são capazes de desenvolver ações de comunicação cada vez mais personalizadas e que entregam exatamente o que cada cliente procura.

Quanto mais refinada a personalização, maiores as chances de conseguir resposta do público.

Responsividade em alta

Em 2016, os smartphones se tornaram o dispositivo número um dos brasileiros para acessar à Internet. Ou seja, há mais pessoas conectadas à web pelo celular do que pelo computador. Isso quer dizer que as empresas que ainda não adaptaram seus canais para o mobile marketing estão perdendo muitas oportunidades de fortalecimento da marca no cenário digital.

Sites responsivos deixaram de ser uma opção e se tornaram uma verdadeira necessidade em 2016. Oferecer aos usuários a melhor experiência possível independentemente do tamanho de tela que estão usando na navegação é regra básica para ter sucesso.

Vídeos e transmissões ao vivo

Os vídeos continuam sendo um formato de comunicação muito eficiente para transmitir as mensagens-chave das empresas.

Em 2016, as transmissões ao vivo ganharam força com o Periscope, as transmissões ao vivo do Facebook e do YouTube. Esse recurso ajuda a atrair views, engajamento e é uma excelente ferramenta para divulgar eventos e bastidores das organizações.

E como os avanços não param de surgir no cenário digital, cabe ao profissional de marketing estar constantemente atualizado para identificar as melhores oportunidades para cada empresa.

Siga a R8 nas redes sociais e fique por dentro das principais tendências e melhores práticas em marketing digital!

Se você já pesquisou sobre qualquer assunto relacionado ao marketing digital, com certeza se deparou com a palavra lead em algum material ou postagem de blog. Mas, afinal, o que é lead?

É exatamente sobre isso que vamos falar neste post, explicando o que é, por que elas são importantes e como consegui-las. Confira!

O que é lead?

No mundo do marketing digital, lead é toda e qualquer pessoa que demonstre algum interesse em adquirir um produto ou serviço oferecido pela sua empresa. Simples assim. A geração de leads para a sua empresa é um fator fundamental para o seu sucesso, otimizando as taxas de conversão dos sistemas digitais.

Mas como posso saber quando a pessoa é uma lead? De maneira mais ampla, pode-se considerar uma base de leads a sua lista de e-mail de clientes que, com certeza, está um pouco abandonada, os seus seguidores do Twitter e as pessoas que curtem a página de sua empresa no Facebook.

Lead x Visitantes

Essa é uma temática bastante discutida no meio do marketing digital. Se uma pessoa acessou o site de sua empresa, isso quer dizer que ela tem interesse em seus produtos e serviços, logo ela é uma lead, certo? Errado!

Para se tornar uma lead, você deve ter algum tipo de informação sobre ela e acompanhar toda sua rotina dentro de seu site. Para capturar essas informações, você pode optar por diversos caminhos, desde pop-ups perguntando se a pessoa quer se cadastrar em sua newsletter, até a criação de páginas específicas (landing pages) onde a pessoa deve realizar um breve cadastro para receber um determinado tipo de material (e-books ou white papers, por exemplo).

Lead qualificadas

Quando falamos em leads qualificadas, nos referimos a pessoas que demonstraram interesse em adquirir um determinado produto ou serviço de sua empresa e que já passou por um período de nutrição — processo em que você vai munindo a lead de informações relevantes e de interesse dela para ajudá-la a efetivar sua compra.

Além de demonstrar toda a expertise da empresa, o processo de nutrição transmite confiança e segurança a lead para que ela opte pelo seu produto ou serviço em vez dos oferecidos por seus concorrentes.

Razões para gerar leads

Para te ajudar a entender melhor o impacto da geração de leads para a sua empresa, listamos algumas razões:

  • Foco: ao se trabalhar com leads, você consegue focar os esforços de sua equipe de marketing e de vendas nas pessoas que realmente têm potencial para se tornarem clientes, tornando o fechamento de contratos uma atividade mais certeira;
  • Tempo e recursos: essa conta é a mais simples de se fazer, afinal, se você consegue trabalhar de forma mais segura em relação à captação de clientes, consequentemente, você evitará o investimento de tempo e recursos com contatos que não trarão resultados satisfatórios;
  • Relacionamento: como o processo de geração de leads é baseado em relacionamento constante (mas não massivo) com o cliente, você consegue torná-lo um defensor e divulgador de sua marca, gerando mais oportunidades de negócio para sua empresa.

Agora que você já sabe o que é lead, aproveite para ler este artigo essencial sobre os principais benefícios do marketing de conteúdo!

7 dicas do que NÃO fazer em redes sociais

Se você tem uma página da sua empresa nas redes sociais (Facebook, Twitter, Snapchat, LinkedIn, entre outros), esse post é para você!

Além da importância de toda criação de campanha para as redes sociais, o que você posta, quando posta, onde posta e como posta tem total efeito sobre seus seguidores.

E pensando nisso resolvemos listar 7 dicas do que JAMAIS fazer nas redes sociais.

1- Não adianta postar primeiro se a informação é falsa:

Apurar as informações antes de compartilhá-las é algo crucial. Não queira ser o primeiro a falar de determinado assunto relevante se você não tem certeza do que está sendo falado.

Pesquise, tenha fontes relacionadas e esteja seguro da informação que está passando. Antes soltar a notícia depois de outros do que acabar falando mentiras.

É claro que você não pode perder o timing do assunto, mas esteja seguro antes de tudo.

2- Descontos que não existem:

Algo que acontece muito são descontos anunciados por páginas que quando clicados te redirecionam ao site com o produto a seu preço original. Isso é praticamente um suicídio.

Agir assim te trará muitos unlikes, além de muitos seguidores falando mal da sua página.

3- Não poste algo que não tenha correlação ao seu negócio:

Não seja aquele aproveitador de assuntos impactantes, principalmente se for sobre algo triste ou ruim. Quando algum evento acontece e todos estão falando sobre ele tenha muito cuidado.

Observe se a situação se aplica de algum modo ao seu negócio. Se houver uma brecha para comentar o assunto, ótimo! Do contrário, deixe estar. O mundo é muito rápido e certamente acontecerá algo para você correlacionar com sua página.

4- JAMAIS destrate um cliente/fã:

Óbvio, porém comum. Destratar um cliente é errado em qualquer situação, nas redes sociais é dar um tiro na perna inteira.

Mas então, como sair de um mal entendimento com um cliente insatisfeito?

Mantenha sempre a educação e tente solucionar o problema do cliente o mais rápido possível. Caso não esteja ao seu alcance, certifique-se de fazer com que ele entenda sua preocupação com o problema e total empatia pela situação.

5- Deus perdoa, a gramática não:

Erros gramaticais são terríveis. Ninguém está passível de erros, por isso é fundamental ler, reler e ler de novo tudo o que está escrevendo, e antes de divulgar mandar para área responsável pela revisão de textos.

6- Não pense que seu perfil pessoal não vai influenciar na página da sua empresa:

Por mais que a internet seja um lugar enorme, todo mundo acaba conhecendo todo mundo e tendo acesso a tudo. Por isso, se você possui uma página que preza por todas etapas de como ter sucesso, tenha em mente que isso também se aplica ao ser perfil pessoal.

Não adianta ter fãs, altos números de curtidas e engajamentos se o seu perfil pessoal for carregado de coisas que podem afastar os seus clientes. Em minutos eles descobrirão e passarão a não curtir mais a sua página e nem a sua empresa.

7- Não tenha vergonha de se desculpar

Um desentendimento ou falha na comunicação pode acontecer em qualquer situação para qualquer empresa.

A forma de nunca deixar a “peteca cair” é tendo humildade, sabendo se desculpar e principalmente reparar o erro de forma que seu cliente perceba a sua preocupação com a insatisfação dele e que você está ali para ajudar.


Quer ficar ainda mais por dentro do mundo digital? Curta nosso página do Facebook.

facebook-live

É hoje!

Agendar publicações ao vivo no Facebook estarão disponíveis a partir de hoje!

As lives ultrapassam distâncias sendo possível passar conteúdos e informações para milhares de pessoas que interagem ao mesmo tempo que você.

O Facebook Live tem tido grande aceitação do público que se vê engajado em assuntos diversos da área.

Agora com a possibilidade de agendamento das publicações essa ferramenta tende a crescer muito mais e gerar ainda mais seguidores.

 Agendar seus vídeos ao vivo permite 3 coisas:

  • Ao agendar o live é gerado um post em sua página para avisar seus fãs.
  • Faz com que ao começar o vídeo sua audiência já esteja lá te esperando.
  • Ajuda a gerar a expectativa antes da transmissão.

Outra possibilidade é que seus fãs podem optar por receberem uma notificação da sua live minutos antes dela começar.

Assim, seus fãs poderão conectar a um lobby antes do vídeo dar início, interagindo com outras pessoas.

Com esse novo recurso, será possível agendar um Live com uma semana de antecedência e seus fãs poderão ingressar no lobby minutos antes da transmissão.

Quando o vídeo é programago já é possível compartilhar o link ou incorporar o mesmo em outras plataformas como blogs por exemplo.

Lembrando que o Facebook Live está disponível para páginas cadastradas.

Como agendar um vídeo Live?

Vá até a página que você é administrador e deseja criar um vídeo ao vivo.

  1. Acesse “Ferramenta de Publicação”
  2. Uma vez nela, selecione “Biblioteca de vídeos” e depois “Ao Vivo”.
  3. Copie sua credencial de transmissão (Ex: a URL do servidor)
    Caso precise procurar sua credencial perto do horário da transmissão, ela também estará disponível ao editar um vídeo na “Biblioteca de Vídeos”.
  4. Crie seu post de anúncio (Criativo e que chame atenção de fãs, claro)
  5. Finalize o agendamento de sua transmissão (Acrescente imagens e detalhes finais).
  6. PRONTO!

Muito simples, prático e rápido!

Agora é esperar para criar, assistir e desfrutar dessa ferramenta que tem tudo para ser um sucesso.

workplace

Workplace: A ferramenta do Facebook para Empresas.

A nova rede social voltada para empresas é criada pelo Facebook.

A rede está em desenvolvimento a pelo menos dois anos e em fase de teste atraiu mais de mil empresas.

O Workplace foi criado com o intuito de aproximar colegas de trabalho e deixar o ambiente dos funcionários mais leve e acessível.

Além disso ele quer promover também a integração de uma rede social para o ambiente corporativo.

Assim, a plataforma seria uma solução mais rápida que o e-mail e um grande concorrente dos apps da Microsoft.

O Workplace mantém as principais funções do Facebook, como a possibilidade de criar grupos, vídeos ao vivo e chats.

Possui também um feed de notícias assim como os trending topics.

Conta com tradução automática e a possibilidade de reações, tal qual o Facebook.

Quem pode usar?

Qualquer empresa pode começar a usar o Workplace, seja ela de grande ou pequeno porte.

As empresas ainda podem contar com recursos como dashboards e métricas para análises internas.

A ferramenta do Facebook promete integrar com os sistemas de tecnologia da informação das empresas e não permite publicidades.

Multi-Company Groups:

É possível de criar grupos compartilhados entre corporações.

Com ele, empresas diferentes que estiverem trabalhando em conjunto poderão ter um espaço online para que funcionários troquem ideias para agilizar as tarefas.


Além da ausência de publicidade, o Workplace promete não colher os dados dos usuários.

Também vai funcionar de forma totalmente independente do Facebook.

Outras formas de distração como o Candy Crush, foram bloqueadas da nova rede social.

Preço:

Os valores variam de acordo com o número de funcionários.

US$ 3 por cada usuário para empresas com até mil colaboradores;

US$ 2 para empresas até 10 mil funcionários;

US$ 1 para empresas com mais de 10 mil empregados.

Acesse o Facebook para empresas aqui!

marketing

Marketing de Conteúdo: Planejamento, Execução e Mensuração:

70% das empresas brasileiras investem em Marketing de Conteúdo.

Mas afinal, o que é isso?

O Marketing de Conteúdo é uma maneira de fazer crescer sua rede de potenciais clientes, gerando valor para as pessoas.

Isso é feito através de conteúdo relevante para que seu público fique engajado no que você tem a mostrar e informar.

Porém não basta sair escrevendo assuntos importantes sem um planejamento.

Se eu tenho um blog de almofadas, falar da situação política do Brasil não vai me trazer resultado, por mais que seja um assunto relevante e informativo.

É preciso planejar e criar uma estratégia organizada e estruturada para gerar o resultado que eu quero.

Para criar um conteúdo interessante você tem que utilizar pelo menos 3 etapas:

Planejamento:

Planejar vem através da estratégia que você quer, que na maioria das vezes é a criação de conteúdo que traga benefícios concretos para sua empresa.

Estar ciente do que vai acontecer e listar também os riscos te previne das chances de algo dar errado.

É preciso planejar tudo antes da execução de fato.

Execução:

Depois de tudo planejado é preciso colocar a mão na massa e pôr em prática tudo o que você realizou.

Para isso é importante ter uma cronologia e uma periodicidade vantajosa para execução do conteúdo, bem como ficar sempre atento se o que você está criando tem relação com o assunto da sua empresa e seu negócio em questão.

Fique atento à execução.

Uma execução bem feita, juntamente com o planejamento faz da terceira etapa um sucesso.

Mensuração:

Depois de todo o trabalho realizado, é preciso saber o resultado de tudo isso e ver se deu certo.

Para isso, existem várias métricas que podem ser seguidas em uma estratégia de Marketing de Conteúdo.

É importante focar nas métricas que são realmente relevantes.

Com os resultados em mãos, você passa a ter informações suficientes para melhorar sua estratégia!


Parece complicado, e de fato é mesmo.

Requer estudo profundo, testes e mais testes e muita paciência e dedicação, mas que são pagas ao ver aquela campanha decolando da forma que você esperava.

Para quem se perguntava como seria trocar uma ideia com o Google, agora isso é possível!

Na última sexta foi lançado no Brasil o Google Allo, novo mensageiro do Google.

Em pouquíssimos dias o aplicativo já foi baixado mais de 1 milhão de vezes em dispositivos Android e ocupa o primeiro lugar na lista de apps gratuitos mais baixados da Play Store americana.

O Allo Bombou!

O aplicativo veio com tudo e promete muita interação entre usuário e o belo robozinho do Google. Logo quando se inicia o app o robô faz algumas perguntas e explicações iniciais.

E não para por aí:

O robô é operado pelo Google Assistant, novo assistente pessoal virtual do Google, e permite acesso às últimas notícias, previsão do tempo, trânsito, tradução de textos ou mesmo saber que horas sai determinado voo.

Também dá para usá-lo para buscar fotos, vídeos e informações na internet.

Toda vez que se escreve uma mensagem iniciada por @google, o Google Assistant é acionado.

google-allo

Para participar da conversa, o Google usa algumas de suas ferramentas já existentes, como a Pesquisa, o Maps e o YouTube, fazendo com que todos seus serviços sejam usados e interajam o tempo todo com o usuário sem que ele se dê conta.

Outro dos recursos é o bate-papo anônimo, em que os participantes escolhem por quanto tempo as mensagens ficarão disponíveis. Essa opção também tem notificações particulares e sigilo por criptografia.

Ao tentar conversar com quem não tem ainda o app instalado, o Google permite um envio de um SMS gratuito com o convite.

Apenas em inglês, por enquanto.

O Assistant só está conversando em inglês. Se tentar falar em português com ele, aparece a mensagem “Desculpa, eu ainda estou aprendendo português. Por ora, posso fazer uma busca no Google para você”, e entrega o resultado da busca baseado no que você teclou.

Futuro:

O Allo pretende, no futuro, ser aquele funcionário que toda pessoa sempre sonha em ter. Aquele que realiza as tarefas chatas de fazer reservas em hotéis ou restaurantes, ou em passagens para aquela viagem de férias.

Tudo isso em apenas um aplicativo.

^47BC6749FE3CB13EE0454545125E71D7E2EB0CEBB06167435C^pimgpsh_fullsize_distr

Instagram para Empresas chega ao Brasil

Ontem, 15/08, foi lançado no Brasil o Instagram para negócios.

Empresas brasileiras poderão melhorar a comunicação e o engajamento do público pela conta do aplicativo.

Já nas próximas semanas todas as contas para empresa no Brasil estarão liberadas.

As alterações são ajustadas nas configurações do perfil e a conta deve ter pelo menos 100 seguidores, além de uma página no Facebook.

Os dados da fanpage são importados para a conta do instagram. 

Vale notar que um perfil comercial no instagram só pode ser conectado a uma única página do Facebook, ambas possuindo a administração da mesma pessoa.

O que há de novo:

Botão “Saiba Mais”: Trará informações sobre a empresa como contato e endereço por exemplo.

Instagram Analytics: Conta com alguns dados básicos da página como alcance, cliques, impressões e atividades dos seguidores.

Sua desvantagem é que por enquanto não é possível fazer a exportação do arquivo pelo modo CSV.

Outro ponto negativo é que a verificação das contas não é atualizada automaticamente pelo App.

Como funciona o Instagram Analytics:

Entre os botões ‘Promover’ e ‘Ver Informações’, é possível acessar as Impressões, o Alcance e o Envolvimento do post.

Impressões: Total de vezes que seu post foi visto e impactou alguém. Pode ser visualizado até cinco vezes, cada uma delas é uma impressão.

Alcance: Baseado no número de pessoas que visualizaram seu post. É contado apenas uma vez, mesmo que o usuário veja seu post mais vezes

Envolvimento: Total de contas que curtiram ou comentaram o seu conteúdo no aplicativo.

Botão Promover: Para maior visualização das postagens é possível promover as publicações do instagram clicando no botão correspondente e preenchendo os campos necessários como o Público, a Duração da promoção e o Orçamento que você deseja investir. A aceitação do anúncio criado leva até uma hora para ser concluído.



Com essa nova plataforma, empresas poderão segmentar suas campanhas não só apenas no Facebook como no Instagram também, sendo uma nova possibilidade de aumento de vendas e divulgação de marca.

Para quem é da parte de marketing digital e social media é mais um passo e desafio em vista, onde novas táticas de engajamento serão criadas e testadas a fim de trazer o melhor resultado para empresa buscando conteúdos e métodos que atraiam o público.

A era do Marketing Digital traz a cada dia maiores possibilidades, aplicativos e consequentemente maior dissipação de informação e conteúdo. Daí a importância de cada vez mais segmentar o tipo de campanha para o público certo, a fim de atingir o objetivo proposto e saber exatamente qual assunto está sento divulgado.