• Home
  • /
  • A importância da otimização de URL

A importância da otimização de URL

Fonte: giphy.com

A URL, Uniform Resource Locator, que em português quer dizer Localizador Padrão de Recursos, é o endereço completo de uma página na internet. 

Mas além de ser um simples endereço, as URLs servem também para facilitar a vida dos internautas, dos buscadores e de quem trabalha na empresa. 

E para se tornarem melhores e mais atrativas, existe a otimização das URLs. Sabe quando você olha para a barra de endereços do navegador e consegue saber qual o conteúdo da página, antes mesmo de carregar esse conteúdo?! É uma URL perfeitamente otimizada!  

Se você quer saber mais sobre a importância de otimizar a URL do seu site, e-commerce ou blog e as principais dicas para isso, continue com a gente neste artigo. 

Qual a importância de uma URL otimizada?

Em primeiro lugar, é em relação à experiência do usuário. Com uma URL otimizada, o usuário pode ter acesso a uma informação ou uma ação de forma mais direta, sem precisar percorrer um longo caminho ou clicar em vários botões. 

A experiência do usuário é tão relevante, que interfere na posição em que a página é mostrada nos resultados de busca e na quantidade de cliques. 

Além disso, o Google tem a preocupação de que quando o usuário busca um termo, as primeiras opções que ele mostra realmente tenham a informação que está sendo buscada. O objetivo disso é para que quem navega na internet não se sinta enganado. 

Por isso, uma URL otimizada reduz esse problema, tornando o site confiável para o usuário, para o Google e para os mecanismos de busca. 

Como otimizar sua URL?

Agora que você sabe a importância da otimização para a sua página na web, deve estar se perguntando: como eu faço isso? 

  • Comece optando por URLs curtas: Mesmo que não exista uma regra para os mecanismos de busca, URL curta é mais fácil de lembrar, escrever, copiar e passar adiante facilitando sua divulgação e passando também mais credibilidade. 
  • Use palavras-chave: A palavra-chave ou keyword é um elemento essencial para posicionar bem a sua página nos mecanismos de busca. Se o seu conteúdo fala sobre “roupas para o verão”, isso deve aparecer na URL. 
  • Escolha palavras e não números: Palavras descrevem muito mais um conteúdo que números, por isso, ao criar pastas ou nome de páginas dentro do seu site, evite os números. 
  • Padronize as URLs: Escolha um padrão para o site e siga-o. Se decidir que os separadores são hífens, faça isso em todas as páginas. A padronização contribui para a manutenção e compreensão do site, assim como na navegação. Além disso, as URLs podem ter tanto letras maiúsculas quanto minúsculas, mas dê preferência às minúsculas para criar uma padronização e facilitar a leitura. 

Então, gostou das dicas sobre URL? Às vezes não reparamos, mas a estrutura delas são realmente importantes e fazem toda a diferença para o seu site.   

Caso tenha alguma dúvida, entre em contato! 

Decidiu criar a sua loja, mas não faz ideia de por onde começar? Nesse artigo vou te mostrar, porque começar pelo site, é sem dúvida um dos melhores caminhos.

Não tem problema se você já possui uma loja no Instagram, ou se você pensar que o melhor caminho para você é outro. Esse artigo é uma dica, não é uma regra, na verdade, você pode começar da forma que achar melhor, o importante é começar.

Agora, se você quiser seguir um caminho que vai te economizar mais tempo, e gerar mais vendas, ter um site é o melhor deles.

Apesar de o Instagram ter mudado todo o seu design, focando em ajudar as pessoas a consumirem e venderem mais, o processo de venda por lá não acontece como mágica, ou você pensa que vai postar uma foto, e quando a pessoa curtir o dinheiro vai cair automaticamente na sua conta? 

Certamente não é assim que as coisas funcionam. Ter um site traz muito mais segurança, além de outras vantagens como:

  • Melhor usabilidade: seus clientes agora irão poder acessar os produtos de uma forma muito melhor e mais detalhada, sem ficar mandando várias mensagens no Inbox perguntando a respeito do produto.
  • Segurança: seus clientes agora vão se sentir muito mais seguros ao utilizarem seus cartões de crédito, em um processo de compra que eles já estão familiarizados, do que de uma forma informal.
  • Vendas rápidas: com um processo de compra muito bem definido, seus clientes agora vão comprar mais e mais rápido, com um nível maior de satisfação.
  • Credibilidade e Profissionalismo: seus clientes vão ter uma impressão muito melhor da sua marca, pois seu site vai lidar com os dados deles de uma forma muito mais segura.
  • Melhores métricas: com um site você terá melhores métricas e entenderá o comportamento de seus clientes de uma forma muito mais detalhada.
  • Algo para chamar de seu: O site é seu, ao contrário de uma rede social como Instagram, que pode parar de funcionar a qualquer momento, e você não vai poder fazer nada a respeito.
  • Liberdade: com um site, você vai conseguir descrever melhor o que é o seu produto, e a sua empresa, na forma que achar melhor.

Ter um site parece ser algo que irá te trazer dores de cabeça, mas, na verdade, ele vai te evitar muitas. Então comece fazendo esse investimento na sua marca o mais rápido possível.

Entre em contato com uma agência experiente e coloque seu plano em ação.

De acordo com um levantamento feito em janeiro de 2020, havia, em todo o mundo, mais de 1.74 bilhão de sites na internet e esse número cresce a cada segundo. 

Seja para uma pessoa, empresa, blog ou negócio online, todo mundo já pensou em ter site e, então, surge o questionamento: por onde começar? Basta criar o site em qualquer “lugar”  e pronto ele está funcionando?

Bom, não é bem assim. Uma das primeiras coisas que precisa ser feita é um registro de domínio e contratar uma hospedagem de sites.

Fonte gif: giphy.com

Registro e Hospedagem

O registro de domínio nada mais é que o endereço do seu site na internet. O nosso aqui da R8, por exemplo é (https://www.agenciar8.com.br/). É através do domínio que o seu site será encontrado na internet, como se realmente fosse o endereço de uma casa. 

Já a hospedagem de site, é um serviço de armazenamento e disponibilização feito por uma empresa. Com esse serviço, é possível manter o site 24 horas online sem dificuldades de acesso, fazendo com que pessoas do mundo todo consigam visualizá-lo de qualquer lugar. 

Mostrando de forma visual, o servidor de hospedagem é um computador configurado exclusivamente para armazenar os arquivos essenciais para que os sites funcionem, e disponibilizá-los através da internet. 
Existem diversos tipos de hospedagens para diferentes tipos de sites. Neste artigo, vamos te contar mais sobre hospedagem compartilhada, a mais comum entre as hospedagens.

Hospedagem compartilhada

A maioria dos sites escolhem esse tipo de hospedagem pelo seu custo benefício. Isso porque existem planos oferecidos a partir de R$ 6,00 por mês e, em geral, é mais fácil de manusear. 

Na hospedagem compartilhada, o seu site fica em um servidor que armazena centenas de outros sites, assim, dividem os mesmos custos. É como se fosse um prédio, em que vários moradores dividem o mesmo terreno e recursos comuns. 

Evidentemente, os recursos de software e hardware também são divididos, o que torna esse tipo de hospedagem mais limitada em termos de desempenho. Porém, se você possui sites e blogs pequenos ou médios, com tráfego de baixo a moderado, ele atende suas necessidades.

Prós da hospedagem compartilhada:

  • Atualização e manutenção do servidor por conta da empresa de hospedagem; 
  • Fácil administrar o serviço, principalmente para quem está começando a mexer com o sistema; 
  • Menor custo do mercado; 
  • Não requer configurações adicionais.

Contras da hospedagem compartilhada:

  • Não oferece acesso ao administrador; 
  • Clientes ruins podem afetar o seu site; 
  • Recursos, como IP, processador e memória são compartilhados entre os clientes. 

Caso tenha alguma dúvida de como realizar hospedagem compartilhada, ou qualquer outro tipo de hospedagem, entre em contato com a gente!

Estar por dentro do mundo digital se tornou uma necessidade. 

O mundo mudou, estamos há mais ou menos 5 meses vivendo ou tentando nos adaptar ao “novo normal”. O jeito de comprar, se divertir e principalmente trabalhar teve que ser modificado para o enfrentamento da pandemia do COVID-19 e a crise que ela trouxe. 

Com isso, cada vez mais, a tecnologia tem sido extremamente importante na vida das pessoas. Empresas que antes não tinham pretensão em estar na internet, hoje se vêem obrigadas a pelo menos ter uma rede social do seu negócio.

As empresas começaram a sentir em um curto prazo o grande prejuízo em suas receitas com o enfraquecimento das vendas de produtos e serviços e precisaram aprender a trabalhar e ser eficientes utilizando ferramentas de comunicação e operação de eletrônicos. 

Através disso começaram a enxergar a importância de estratégias através, principalmente, do marketing digital para a sobrevivência de seus negócios no mercado. Quem já estava a caminho da transformação digital, sofreu impactos mas não tão severos quanto aqueles que tiveram que começar do zero. 

Falando em marketing digital…

               Imagem reprodução: indesconcetavel.com/blog

É justamente através dele que se encontra ferramentas que ajudam no impulsionamento das vendas de produtos e serviços. Expõe o negócio de maneira positiva na internet, estreita a comunicação da empresa com o público, público esse que é estudado, definido e direcionado. 

Quando a marca possui boa referência no mercado, isso agrega valor ao produto ou serviço no momento da venda, e no marketing digital não é diferente. Através dele, a empresa encontra caminhos para mostrar mais sobre as características do que tem a oferecer, não vendendo apenas o produto mais informando o que ele tem a oferecer. 

Uma pesquisa encomendada em maio pelo Facebook IQ ao Ibope de Inteligência mostrou que 28% das pessoas no Brasil já estão fazendo mais compras online desde o início da pandemia. Mostrando também o crescimento na procura de e-commerces pelos consumidores. 

Atrelando redes sociais ativas e um bom canal de vendas, é possível se direcionar de maneira positiva para o fim da pandemia. Onde muitos acreditam ainda, que no pós pandemia muito do que foi desenvolvido nesse período será consolidado. 

E sua empresa? Está acompanhando as transformações digitais?

Criptografia: saiba o que é e sua utilidade.img

A criptografia nada mais é, explicando com poucas palavras, uma chave de segurança que embaralha todas as informações trocadas entre dois pontos. Sendo assim, a criptografia possibilita a segurança na troca de dados entre dois pontos. Isto faz com que, nem mesmo o servidor por onde possa passar a informação, consiga decifrá-la, já que não possui a chave de segurança. É isso que acontece no Whatsapp, por exemplo.

Criptografar as informações na internet se tornou algo indispensável. Atualmente, não sabemos onde ou quem pode estar no meio de uma conexão e por isso usamos a criptografia para dispensar a necessidade de confiança total na rede.

90% do tempo de navegação do brasileiro é feito em sites criptografados segundo dados do Google. Tal medida de segurança é usada para proteger os dados nas atividades desenvolvidas por vários serviços. A criptografia então, resolve 3 problemas ao mesmo tempo. São esses:

1 – Impede que sejam feitos “grampos” ou espionagem

Como os dados trafegam em código, somente aqueles que possuem a chave para a decodificação conseguem decifrar as informações embaralhadas. Nem mesmo quem controla o canal por onde passam os dados tem acesso a essa chave.

2 – Detecta informações adulteradas

Caso ocorra alterações nos dados, a mensagem não será decifrada de maneira correta. É possível, então, reconhecer quando alguma conexão tenha sofrido interferência, seja intencional (devido a um ataque) ou acidental (erros da rede).

3 – Identificar as partes de uma comunicação

Quando um site usa criptografia, isso informa ao seu browser que você está conectado ao site verdadeiro do endereço acessado. Uma pessoa não consegue se passar por outra sem “roubar” a chave de criptografia que embaralha o conteúdo das mensagens. Por isso que quando um de seus contatos no whatsapp, por exemplo, troca de aparelho celular ou reinstala o aplicativo você recebe uma mensagem informando que o código de segurança foi alterado. Mas pode ser que a conta do WhatsApp dele tenha sido roubada. Esta é uma maneira de alertar a todos os contatos dessa pessoa que algo pode ter acontecido. Como o criminoso não tem a chave original, ele é obrigado a cadastrar uma chave nova, alertando todos os contatos sobre esse acontecimento.

Quer dar um boost na segurança do seu site? Fale com a gente! Visite sempre nosso blog para ficar por dentro de mais informações como essa.

PHP e Javascript: entenda essas linguagens.img

PHP e Javascript, para aqueles que estão começando no mundo da programação podem parecer a mesma coisa. Na realidade, não são. Assim, para diferenciá-las é preciso, primeiramente, entender como funciona a internet.

Quando acessamos a internet, nosso computador manda um conjunto de dados e uma pergunta ao servidor. O servidor, então, responde esses dados/pergunta e desta forma, se estabelece a conexão e a troca de dados.

A linguagem PHP é executada do lado do servidor. Em contrapartida, o Javascript é executado do lado do cliente. A linguagem PHP permite acesso a banco de dados de forma muito mais simples já que permite o trabalho direto entre as conexões abertas do servidor de páginas e o servidor do banco de dados.

O Javascript tira a sobrecarga do processamento do servidor. Por exemplo, a linguagem é capaz de validar o preenchimento de determinados campos num formulário HTML. Os dados são verificados no cliente e só então enviados pela rede, ganhando tempo de transferência dos dados.

Essas duas linguagens são parecidas em suas estruturas de programação pois possuem suas origens de estrutura nas linguagens C/C++. O PHP, por estar no lado do servidor, que é uma máquina mais potente, conta com mais recursos ao contrário do Javascript, criado para controlar ações em um browser de internet.

Se você quiser saber mais sobre as linguagens da programação, veja esses outros posts que fizemos por aqui:

Esperamos que tenham gostado do conteúdo! Toda semana tem mais. Acompanhe a gente!

Carregamento do site impacta no seu resultado web.img

Qual é a primeira impressão que o seu cliente tem ao entrar no seu site? Já parou para pensar nisso? Certamente será a velocidade de carregamento do seu site. Em se tratando da navegação na internet, a velocidade de carregamento das páginas é justamente a primeira coisa que um usuário repara quando visita um site.

Os desenvolvedores começaram a dar mais atenção a este quesito com o crescimento do tráfego mobile. Além disso, soma-se o fato de o Google, em 2018 , ter atribuído a velocidade de carregamento dos sites como um fator para melhor ranqueamento nos resultados de pesquisa.

Assim, a busca por notas verdes no PageSpeed Insights (PSI), aumentou e muito. Hoje vamos falar um pouco sobre essa questão na experiência do usuário.

Uma boa nota no PSI significa que um site apresenta uma configuração satisfatória em termos de SEO. Um site com páginas ágeis contribui significativamente para a experiência do usuário, o que significa menores taxas de rejeição, maior tempo de permanência, aumento do tráfego e crescimento no número de leads. Os efeitos gerados nos e-commerces quanto a agilidade no carregamento das páginas pode ser muito grande. Tal experiência de usuário pode significar a conclusão de uma venda ou um carrinho abandonado. Atualmente, os usuários estão mais conectados via mobile. A otimização e agilidade de resposta do seu site ou e-commerce para esses dispositivos é um fator importantíssimo. Sites lentos e, principalmente, as páginas de check-out e pagamento com falhas de carregamento nunca despertaram tanta desconfiança.

É possível melhorar o desempenho do seu site, não apenas providenciando ajustes técnicos, como também utilizando ferramentas de otimização.

Tais ajustes podem auxiliar o seu site no ranqueamento do Google. Desta maneira, você será mostrado nas primeiras páginas e/ou posições dos resultados de busca.

Comece a providenciar agora mesmo melhorias no seu site! Converse com quem entende do assunto e venha tomar um café conosco!

API sabe oq é

API é um termo que todas as pessoas que trabalham com marketing digital ou com websites certamente, já se deparou, não é mesmo?! Hoje, continuando nossa pauta deste mês de Janeiro na parte de Desenvolvimento Web, vamos tratar aqui no blog do que é esse tal de “ahpêí”.

Application Programming Interface ou em português, Interface de Programação de Aplicativos é o conjunto de padrões de programação que permite a construção de aplicativos e a sua utilização de maneira não tão evidente para os usuários.

Uma API geralmente é criada quando uma empresa de software tem a intenção de que outros programadores desenvolvam produtos associados ao seu serviço. Vários aplicativos, por exemplo, disponibilizam APIs para serem aplicadas em websites. Um exemplo claro disso é o GoogleMaps. Quando você acessa um site de uma empresa e nele tem uma área que consta a localização da empresa onde você está visitando, você está visualizando uma API. Ela vai buscar a localização da empresa e apresentá-la para você no front-end, no formato do mapinha do Google para você navegar.

As APIs são um tipo de “ponte” que conecta aplicações, podendo ser utilizadas para os mais variados tipos de negócio, por empresas de diversos nichos de mercado ou tamanho.

As APIs proporcionam a integração entre sistemas que possuem linguagem totalmente distintas de maneira ágil e segura. 

No quesito segurança elas são excelentes pois entregam apenas um conjunto específico de informações que são definidas pela empresa proprietária da aplicação. Quem acessou, quando e de onde consultou os dados são informações que as APIs podem apresentar.

E como eu posso aplicar uma API no meu site?

Aqui na Agência R8 você conta com um time de desenvolvedores web prontos para integrar os mais variados tipos de API. Desta maneira, você pode se comunicar e obter um maior desempenho do seu website com seu público-alvo.

Afinal, somos fullstack e fulldigital. Back-end e front-end além de design e UX.

Precisa de uma mão para dar aquele up na sua comunicação?! Aqui, você encontra uma agência inteira. Vamos marcar um café?!

front-end saiba oq é

Como já foi dito anteriormente, os websites são divididos em duas partes: o front-end e o back-end. Neste post de hoje, vamos explicar o que é o famoso front-end e para o que ele serve. Iremos abordar posteriormente, qual é o papel dos desenvolvedores web nesse ambiente de front-end.

O frontend é basicamente, a programação que irá ser utilizada pelo usuário no website ou na aplicação. É aquilo que você vê quando acessa um website, por exemplo. É no front-end que aplicamos todo o design do site e é nele que os desenvolvedores web aplicam toda a programação que irá observar o comportamento do usuário. Desta maneira, é possível trabalhar e estudar o UX no seu website.

No frontend o usuário passará pela experiência de navegar no website ou aplicação e, por isso, tanto a parte do design que irá guiar os olhos e suscitar ações do usuário pelo seu conteúdo quanto a parte da programação devem estar afinadas para entregar ao seu consumidor aquilo que ele procura.

Linguagens comumente utilizadas no Front-end

Por isso, o conhecimento do desenvolvimento web neste ambiente é importante para conseguir integrar o design aos objetos e códigos como, por exemplo:

  • HTML – que estrutura o conteúdo do site,
  • CSS – que permite estilizar seu conteúdo,
  • JavaScript – que introduz dinâmica ao website,
  • jQuery – biblioteca para sintetizar os códigos.

Estes são algumas das linguagens mais básicas para o desenvolvimento de um front-end responsivo. É claro que existem várias outras que vão adicionar funcionalidades e várias ações para o seu website.

Aqui na Agência R8, contamos com uma equipe de desenvolvimento web que trabalha em conjunto com profissionais do Design para desenvolver uma interface convidativa e de fácil manipulação para o usuário. Estamos em constante aprimoramento e estudo para trazer o que há de melhor no mercado no quesito UX além de também contamos com parcerias de grandes plataformas digitais para trazer mais funcionalidades para seja qual for a finalidade do seu portal de relacionamento com o seu cliente. Resultado e Relacionamento é o nosso lema e queremos proporcionar aos clientes mais um canal de relacionamento com o seu público alvo. Orquestramos uma estratégia de marketing digital completa. Vem trocar uma ideia com a gente! 

Back-end saiba oq é

Os websites são divididos em duas partes: o front-end e o back-end. Neste post de hoje, vamos explicar o que é Back-end e para o que ele serve. Iremos abordar posteriormente, qual é o papel dos desenvolvedores web nesse ambiente de back-end.

O backend é basicamente, a programação responsável pelo funcionamento do website ou da aplicação. É como se fosse a casa de máquinas. É o backend que se comunica com o com o banco de dados de um servidor para enviar e buscar informações e dados tanto no sentido: usuário – banco de dados (servidor) – backend quanto no sentido contrário: backend – banco de dados (servidor) – usuário.

Ele é o mecanismo que faz essas buscas dos dados e os entrega ao front-end para serem apresentados ao usuário. O back-end deve ser muito bem estruturado e programado com o intuito de oferecer agilidade na navegação do site para que o mesmo apresente respostas ao usuário sem muita demora. Por isso, o conhecimento do desenvolvimento web neste ambiente é importante para conseguir integrar todas as engrenagens como:

  • as APIs,
  • os sistemas responsáveis pelo gerenciamento do conteúdo do site além do
  • sistema com a regra de negócios e operações.

Linguagens comumente utilizadas no Back-end

Os programadores e desenvolvedores web que trabalham no ambiente backend geralmente utilizam algumas linguagens para fazer a integração entre os sistemas. Domínio das linguagens como:

  • PHP,
  • SQL – para o gerenciamento do banco de dados,
  • Kotlin – alternativa do Java com suporte para Android,
  • Elixir e Phoenix – excelente para apps que precisam processar muitas conexões simultaneamente como os de bate-papo,
  • GraphQL – forma mais moderna de se construir APIs. Facilita o carregamento e processamento de dados e especifica quais dados serão recuperados da API.

… são importantes para o bom funcionamento do website.

Assim, aqui na Agência R8, contamos com uma equipe de desenvolvimento web especializada para fazer o website rodar de forma suave. Afinal, Resultado e Relacionamento é o nosso lema e queremos proporcionar aos clientes mais um canal de relacionamento com o seu público alvo. Orquestramos uma estratégia de marketing digital completa. Vem trocar uma ideia com a gente!